• Novo Reporte IMOREP

    Reporte em XBRL ao Banco de Portugal

Alerta:

Novas Obrigações – Reporte IMOREP em XBRL

12 fevereiro 2018

A BDO Consulting já dispõe do serviço de Licenciamento do processamento em XBRL do Reporte IMOREP, permitindo que os nossos clientes possam submeter o IMOREP anual no formato XBRL até ao final do mês de fevereiro de 2018.

Esta atualização decorre das alterações regulamentares emanadas pelo BdP, com vista a melhorar o sistema de supervisão do Risco Imobiliário nas entidades financeiras.

A BDO conta com a ferramenta aplicacional SeaHorse, com vista a apoiar os seus clientes nos processamentos dos reportes mensais e trimestrais e anuais exigidos pelo Banco de Portugal (COREP/ FINREP / IMOREP), prestando deste modo um serviço seguro e de excelência.

Para mais informações contatar o responsável do Departamento de Consultoria Empresarial, Ana Luisa d’Aires através do telefone 93 799 0343 ou do email luisa.aires@bdo.pt

 

ENQUADRAMENTO REGULAMENTAR

Ao longo dos últimos anos, o nível de exposição das instituições de crédito ao risco imobiliário tem sofrido um incremento significativo, quer por via da aquisição de imóveis em reembolso de créditos concedidos, quer por via do reforço das participações em sociedades ou fundos de investimento cujo objeto passa pela detenção de imóveis.

Face a esta situação, em Março de 2016 o Banco de Portugal procedeu à revisão das obrigações de reporte aplicáveis às instituições de crédito. Esta revisão pretendeu, como objetivo principal, alargar e completar o conhecimento do nível de exposição das instituições de crédito ao risco imobiliário. Deste modo, as instituições de crédito passaram a estar obrigadas ao envio, em formato XML/XLS:

  • da informação sobre a carteira de imóveis detidos e sobre os fluxos ocorridos na mesma no ano de referência - anualmente, até final de Fevereiro com data de referência do final do ano anterior;
  • dos pedidos de prorrogação para fazer cessar a exposição ao risco - trimestralmente e com antecedência mínima de 30 dias face ao término do prazo legal (ou de 60 dias quando seja exigível um parecer prévio de outra autoridade de supervisão).

 

No seguimento da experiência decorrida, o Banco de Portugal concretizou, em Janeiro de 2018, a reformulação destas obrigações de reporte, com o intuito de completar e uniformizar a informação a ser remetida. As principais alterações assentam em:

  • obrigação de efetuar o reporte anual de informação e os pedidos trimestrais de prorrogação de prazo em formato XBRL (eXtensible Business Reporting Language);
  • aprofundamento do conteúdo a disponibilizar, designadamente com o detalhe das amortizações, da classe de risco na classificação FINREP, do método de avaliação utilizado, da disponibilidade para venda e do valor para venda imediata;
  • sistematização da fundamentação dos pedidos de prorrogação de prazo em 5 tipologias-base.

 

A reformulação publicada no início deste ano entrou em vigor após a publicação da Instrução nº 1/2018 mas, atendendo ao esforço e complexidade da adaptação que as instituições de crédito terão de fazer, foi estabelecido um período transitório. Assim, até ao dia 30 de Junho de 2018, os reportes de informação e os pedidos de prorrogação de prazo poderão ser efetuados nos moldes anteriormente em vigor.